Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ansião News

As notícias e comentários sobre o concelho de Ansião

Ansião News

As notícias e comentários sobre o concelho de Ansião

O Moinho dos Olhos de Água vai ser requalificado

03.11.06, ansiaonews

Por aqui passavam as primeiras águas que do Rio Nabão brotavam.

A nora rodava, e o seu rodar se transformava em força motriz giratória, fazendo mover todo o sistema de vielas e manivelas...

Do moinho, as paredes já tombaram.

Grossas, construídas com a robustez da pedra das Serras de Ansião, que não teve força para se defender das garras da máquina "lagartixa"...

...que, em dia feriado, espreita o petisco apetitoso - um velho lagar, onde o bacalhau à lagareiro já foi história.

É a firma Aquino & Rodrigues, SA que está incumbida, pela quantia de 2.171.001,00 Euros, reabilitar esta preciosidade, ali humildemente escondida entre grossas paredes, ao longo dos tempos.

Aqui, o IC3 quase que queria interromper o destino do Nabão. estas manilhas tornam-no, de certa forma, um rio dom o cordão umbilical forçado... quase estrangulado...

Viramo-nos e  voltamos ao lagar....

E, como um sonho, admiremos as máquinas que os nossos técnicos de outro tempo, da firma Duarte Ferreira & Filhos, tão bem sabiam construir, ali para os lados do Tramagal...

A força motriz, vinha da força da água, transformada pelo movimento da nora e que se transmitia a estas roldanas, às quais se ligavam grandes correias.

Que se iam ligar a um sistema geral, que posteriormente, distribuia a força às restantes máguinas.

Quando a água faltava, aparecia o motor  que substituia a nora...

Mais tarde, também o motor eléctrico veio ajudar...

E, chegada a azeitona, todo um sistema de mecanismos, mós e prensas, faziam brotar o óleo que servia para a candeia e para o prato. O azeite da nossa terra, das nossas serras de Ansião.

Depois de prensado todo o bagaço da azeitona, era aqui que finalizava o circuito do azeite. Estas talhas guardavam o precioso óleo, que era, posteriormente levado ao seu destino, em vasilhas ou odres.

Abeiro-me da janela que ainda resta , virada para o rio...

E vem-me à memória as canções de Ansião....

.... à noitinha o Nabão, a murmurar no escuro....

...Deslizando mansamente... beijando teus pés...

Ansião! O teu nome tem história!

----

António Simões, 2Nov2006

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.