Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ansião News

As notícias e comentários sobre o concelho de Ansião

Ansião News

As notícias e comentários sobre o concelho de Ansião

AEDA organiza debate sobre a estratégia para o mercado Espanha-Portugal

01.12.07, ansiaonews
 ao mesmo tempo que informa sobre o que é a Garantia Mútua.

A AEDA organizou, no passado dia 30 de Novembro, um jantar-debate temático, no restaurante "A Ti Matilde", situado na Zona Industrial do Camporês.

 

Perante um número significativo de empresários da região, Fernando Santos, da AICEP,  apresentou vários dados, baseados em estatísticas relacionadas com o comércio externo e mais acentuadamente com Espanha, procurando, genericamente, incentivar os presentes a apostarem nesses mercados, a fim  de podermos alterar a balança comercial, muito mais propícia a Espanha.  Os empresários tiveram ocasião de se expressar e manifestar o seu descontentamento, quando necessitam de apoio, quanto a alguns, quase nulo, quando perante casos concretos.

 

Fernando Santos, AICEP Portugal Global apresenta dados estatísticos

A Garantia Mútua, uma alternativa paralela ao apoio bancário foi aqui defendida por Mauro Faria, Gerente da empresa Garval de Leiria. Os empresários questionaram o orador sobre alguns pormenores relacionados com este sistema de apoio ao crédito, nomeadamente sobre o sistema de 2% retidos pela empresa Mútua, e que são transformados em acções. A todos os presentes foram dados vários documentos, onde se  informam das empresas mutualistas a que os empresários podem recorrer: NORGARANTE - GARVAL - LISGARANTE

Além disso poderão ser  esclarecidas dúvidas através dum número 800 244 245 ou da página www.garantiamutua.com

 

Mauro Faria responde a questões postas pelos empresários sobre a Garantia Mútua.

ESCOLA Dr. PASCOAL JOSÉ DE MELLO LEMBRA DIA MUNDIAL DA SIDA

01.12.07, ansiaonews
01 de Dezembro - Dia Mundial da SIDA
 

Os alunos do 12º ano, turma B, do Curso Científico-Natural, no âmbito da Área de Projecto Lazer e Bem-estar – Ritmos de Vida e de acordo com os conteúdos programáticos leccionados na disciplina de Ciências Naturais do 9º ano, dinamizaram, sob orientação do grupo de Biologia/Geologia, várias actividades para comemorar o Dia Mundial da Sida, nomeadamente um Workshop de sensibilização, a apresentação de uma peça de teatro “Diário de uma Adolescente” e uma canção com música e letra adaptadas.

A boa vontade, cooperação e dedicação, quer dos professores envolvidos quer dos alunos, originaram trabalhos de qualidade, contribuindo para o enriquecimento da Escola e da comunidade. Parabéns a todos!

 
Info:AB/EM/Esc2/3Ansião

PROFIFORMA entrega Diplomas rede Alfa.com

01.12.07, ansiaonews
Auditório da Câmara Municipal de Ansião
 Consulte vídeo com fotos dos formandos e  discursos
A Profiforma, empresa de formação, aproveitou a oportunidade para entregar os diplomas do último curso realizado, na área da informática, a 40 dos formandos. Na cerimónia, o presidente da AEDA, Fernando Pinheiro teve oportunidade de incentivar todos os presentes a continuarem a sua evolução profissional, procurando adquirir os conhecimentos necessários através das possibilidades de formação que estão á disposição e que a Associação apoia.
 
Por outro lado, Alfredo Lopes, dirigente da Profiforma realçou a importância da rede alfa.com, como projecto fundamental para a recuperação do atraso do País, uma vez que é imperioso que Portugal tenha, até 2013, a maioria das suas gentes equiparadas ao nível formativo da Europa, isto é, com cursos que lhes dêm a habilitação mínima do 9ºano.
Alguns dos formandos deixaram um pouco de testemunho das suas vidas, fruto da aprendizagem formativa.
Depois de entregues os diplomas, os formandos dirigiram-se à Feira, que visitaram, depois de um almoço confraternização no restaurante Erbach.
 

PSD: Líder recém-eleito da Distrital de Leiria quer mais atenção do Governo à região

01.12.07, ansiaonews

Leiria, 01 Dez (Lusa) - O recém-eleito presidente da Distrital de Leiria do PSD reclamou hoje mais atenção do Governo ao distrito, que considera estar a ser prejudicada em investimento público.

Em particular, Fernando Marques elencou vários problemas relacionados com atrasos na construção de "obras importantes da rede viária", como os IC9, IC3, IC8 ou IC36.

"Este governo é perito em fazer anúncios e em propaganda", mas "nada existe de concreto", afirmou Fernando Marques, que é também presidente da Câmara de Ansião.

Na sexta-feira, a lista de Fernando Marques ganhou as eleições para a Distrital com 1240 votos contra 54 da lista de Jorge Marques, obtendo uma vitória esmagadora para os órgãos do partido.

No entanto, as eleições não foram ainda homologadas já que a Concelhia de Óbidos não foi a votos por falta de cadernos eleitorais.

"Houve um problema mas que não influi em nada o resultado", explicou Fernando Marques, que considera ter uma "maioria estável" que lhe permite liderar o partido para os próximos dois anos, em que terão lugar eleições autárquicas, legislativas e europeias.

No caso do distrito, "vamos acompanhar o processo das autárquicas" mas a "Comissão Política Distrital não tem que se sobrepor às Concelhias", salientou Fernando Marques.

O actual presidente antecipou as eleições para sexta-feira e recandidatou-se ao cargo para garantir que seriam os mesmos órgãos a preparar os próximos escrutínios.

"Não fazia sentido que existissem eleições daqui a um ano, com pouco tempo para preparar as eleições", justificou Fernando Marques.

PJA.

Lusa/Fim

 

in: Notícias sapo, 1Dez07

Olival do Sicó exige mecanização

01.12.07, ansiaonews

António Rosado

 Os olivicultores estão esperançados em que os fundos financeiros do quadro comunitário de apoio vigente os possam ajudar a adquirir formação e equipamento para modernizar as explorações.



A competitividade dos tempos modernos A competitividade dos tempos modernos
já não se compadece com os velhos hábitos de fazer a apanha da azeitona à força de braços. De modo a adquirir competitividade no mercado global, a aquisição de maquinaria é uma necessidade para os produtores olivícolas da região de Sicó, abrangendo os concelhos de Pombal, Ansião, Alvaiázere, Condeixa, Penela e Soure. Reunidos por iniciativa da associação que os representa, cerca de uma centena dos 240 agricultores associados ficaram a saber que a Olivisicó está empenhada em promover candidaturas a financiamentos através do QREN, com base em parâmetros de renovação de grande parte da mancha de olival existente nos oito mil hectares daquela zona.
Por outro lado, Nuno Neves, da Direcção Geral de Agricultura e Pescas (DGAP) alertou para se proceder aos tratamentos fito-sanitários, fundamentais nesta altura do ano, e até à Primavera, no início da nova campanha da azeitona. Os técnicos insistiram, quarta-feira passada, na necessidade de “fazer o diagnóstico da estado do olival, procedendo às correspondentes adubações e fertilizações”. As características do terreno da região de Sicó, dominada por pequenas parcelas de olival, torna muito difícil a mecanização, dificuldade que só poderá ser ultrapassada “se os olivicultores partilharem recursos técnicos e adquirirem meios mecânicos em conjunto”, desafia Nuno Neves. Isso mesmo é constatado por Isabel Guiomar, presidente da Olivisicó, que reconheceu que tanto a faixa etária dos produtores do sector como as próprias árvores estão envelhecidas. Para que seja possível dar o salto para o futuro “é necessário apostar na investigação, experimentação e inovação”, afirma a líder da associação. Nesta perspectiva, desde 2005 que a Olivisicó está empenhada em promover a certificação do azeite com marca Terras de Sicó. Por isso mesmo estão a ser feitas análises à qualidade do azeite produzido nas duas últimas campanhas, com resultados francamente positivos, que permitem acreditar que a certificação possa ocorrer no final do próximo ano, ou em 2009.

in: As Beiras on Line

Câmara autorizada a alienar Solar das Lagoas

01.12.07, ansiaonews

in:Horizonte,30Nov07

A Assembleia Municipal de Ansião, reunida extraordinariamente

a 9 de Novembro

decidiu favoravelmente aos dois pontos em discussão.

O pedido de autorização da Câmara para adesão à sociedade Agrosicó foi decidido por maioria, enquanto o pedido para alienar/onerar o Solar da Quinta das Lagoas teve parecer unânime dos deputados municipais.

A criação da Agrosicó vai ser destinada a resolver o problema da Coprorabaçal, entretanto mergulhada num vazio, dado os seus gerentes não terem interesse em continuar e que apresenta uma dívida de 125 mil euros. Segundo afirmou Fernando Marques a Terras de Sicó não pode "deixar morrer um investimento por que tanto se lutou e que tanto representa para a região", por isso decidiu criar esta sociedade comercial ficando detentora de 80% do capital, seguindo-se o Município de Ansião com 12%, a freguesia de Santiago da Guarda com 5% e a Coprorabaçal com 3%.

Teresa Fernandes da bancada socialista manifestou preocupação pela dívida criada pela Coprorabaçal e disse mesmo que esta medida parecia "o Presidente da Câmara a lançar a mão a um grupo de amigos", levantando ainda dúvidas relativas a um possível problema técnico-jurídico sobre a participação da Junta de Freguesia de Santiago da Guarda no capital social.
 A afirmação da deputada socialista foi muito mal recebida na bancada do PSD. Ilídio Batista afirmou-se mesmo "chocado com a insinuação de que o Presidente da Câmara estava a desenrascar os amigos". O social democrata afirmou que a marca Rabaçal era "a marca da região" e que independentemente do "enquadramento a ser dado à solução, o problema tinha de ser resolvido". Pelo mesmo diapasão afinaram Bruno Martins e António Cardoso, ambos do PSD, com o primeiro a considerar "inaceitável a alegação de compadrio". Já Luís Lucas (PS) disse que a cooperativa era necessária, mas que não percebia a urgência que levou à assembleia extraordinária.
 Fernando Marques voltou a usar da palavra para "repudiar veementemente as palavras de Teresa Fernandes". Sobre a dívida disse que ela era referente a custos com imobilizado, que ainda é da empresa. Marques referiu o facto de "haverem eleições sucessivas e ninguém querer agarrar na Coprorabaçal" para a tomada de posição da Terras de Sicó, considerando mesmo um bom negócio e garantindo que há produtores privados interessados naquela gestão.
 Mesmo com as questões levantadas, o tema foi levado à votação e aprovado com 5 abstenções da bancada do PS.
 Mais pacífico foi o ponto 2 da ordem de trabalhos. A proposta assentava na cedência do direito de superfície do Solar da Quinta das Lagoas (restaurante, capela e terreno) por 50 anos, pelo preço base de 650 mil euros, posto a concurso público.
 Segundo Fernando Marques a renda actual do imóvel importava em cerca de 500 euros, uma verba que não era minimamente lucrativa para o Município.
 Teresa Fernandes voltou a lançar algumas interrogações sobre imprecisões no tipo de alienação. Luis Lucas, da mesma bancada falou na "obrigatoriedade da Câmara realizar dinheiro pela situação grave que vive, estando para isso a delapidar património com vendas sucessivas".
 Fernando Marques referiu que realmente poderá haver alguma imprecisão sobre a questão levantada por Teresa Fernandes. O autarca referiu que a Câmara "quer ter alguma segurança com este processo", pelo que a proporção da tomada de decisão vai recair em 60% pelo preço e 40% pela qualidade do projecto. O júri será o elenco camarário. Levado à votação, este ponto foi aprovado por unanimidade.

Leonel Antunes, candidato a Provedor da SCM Ansião

01.12.07, ansiaonews

ENTREVISTA

in:Horizonte, 30 Nov07

“ Pretendo continuar a afirmar a Santa Casa como uma instituição dinâmica, forte e coesa ”

Depois de três anos como tesoureiro da Santa Casa da Misericórdia de Ansião, Leonel Antunes anunciou já a sua candidatura a Provedor e a apresentação de uma lista às eleições marcadas para 14 de Dezembro. Conversámos sobre as suas motivações, os projectos e, claro, sobre a lista que vai apresentar a sufrágio.

Horizonte | O que o motiva a avançar para Provedor da Santa Casa da Misericórdia? Quais os seus objectivos?
Leonel Antunes |
Olhe, avanço para Provedor porque entendo que, com a equipa de que me fiz rodear, podemos fazer um excelente trabalho em prol da Instituição. Cada elemento da lista que me acompanha está plenamente consciente da realidade da Instituição, das suas forças e das suas carências. Aliás, pretendemos actuar na continuidade do que tem vindo a ser feito e que é tendente à afirmação da Santa Casa da Misericórdia como uma instituição dinâmica, forte e coesa. Os objectivos gerais passam portanto por proporcionar um serviço cada vez melhor aos nossos utentes e à comunidade. Isso consegue-se oferecendo melhores condições de trabalho a funcionários, apoiando-os nas suas necessidades e ouvindo as suas sugestões, mas também proporcionando melhores condições de estadia aos nossos utentes, sem nunca perder de vista situações de carência social que infelizmente vão acontecendo no nosso concelho e às quais sempre acudiremos, dentro das nossas possibilidades.

 H | Nos últimos três anos foram feitos investimentos de monta. O que foi feito concretamente e porquê?
LA |
Antes de mais, e porque de facto foram investimentos importantes, permito-me recordar que as intervenções feitas, embora por iniciativa da actual Mesa Directiva, já estavam previstas antes de eu sequer entrar na Instituição. Embora num contexto diferente, a Mesa Directiva anterior, a que presidia o Prof. Fernando Freire, estava plenamente consciente de diversas carências no edifício do Lar e já havia iniciado um processo tendente à sua resolução. Esta Mesa Directiva deliberou portanto, e face aos problemas existentes, substituir integralmente a cobertura do Lar, substituir a canalização de água e renovar o sistema de aquecimento, substituir o mobiliário dos quartos dos nossos idosos e da sala de estar, bem como renovar todas as instalações sanitárias.

 H | Quais os custos dessas intervenções?
LA |
Estes assuntos geralmente são discutidos e apresentados em sede própria, mas posso-lhe dizer que nas intervenções mencionadas, e que estão neste momento concluídas, foram investidos cerca de 200.000 Euros, neste momento totalmente pagos e dos quais menos de 50% foram pagos recorrendo a reservas da Instituição. Foram pagamentos ponderados e nalguns casos faseados, mas feitos sobretudo com recurso às verbas de que a Instituição ia dispondo na sua gestão corrente.

 H | O novo Centro Infantil é um investimento responsabilidade da actual Mesa Directiva, que já assumiu publicamente pretender construir este novo equipamento. Porquê essa opção?
LA |
A Instituição tem dois edifícios onde desenvolve a sua actividade. O Lar, como já expliquei, tinha algumas carências mas pareceu-nos que eram possíveis de ultrapassar com as intervenções que entretanto fizemos. Já no caso do actual Centro Infantil, a situação era mais complicada e nem a própria estrutura do edifício permite, à luz da legislação em vigor, a sua utilização como Centro Infantil.
Trata-se do antigo hospital da Misericórdia que foi convertido em Centro Infantil em 1983 mas que, actualmente, não oferece condições de trabalho às nossas funcionárias nem as condições ideais de estadia às crianças que ali vão sendo educadas, todos os dias. A apresentação pelo Governo do programa PARES deu-nos a oportunidade de conseguir financiamento para um novo edifício. Apresentámos a candidatura e esta foi aprovada, contemplando 70% do financiamento. Conseguir um edifício novo e só tendo que pagar 30% dos seus custos, no contexto económico actual, é uma oportunidade que não se pode desperdiçar.

 H | Quais os encargos que a Instituição terá que assumir nesse projecto e como afectarão a estabilidade financeira da Instituição?
LA |
A comparticipação atribuída à Santa Casa, correspondente a 70% do total, é de 266.000 Euros. A Instituição terá que custear os restantes 30%, o que não coloca em causa de forma alguma, a estabilidade da Instituição nem o seu futuro. Pelo contrário, e prova disso é que o Orçamento e Plano de Actividades para 2008 foram aprovados sem votos contra.

 H | Têm reclamado a manutenção do ATL como uma vitória da actual Mesa Directiva. Que se passou afinal?
LA |
De forma muito resumida: a legislação que regula o funcionamento dos Centros de Actividades de Tempos Livres mudou no início deste Ano Lectivo, até pela introdução das Actividades de Enriquecimento Curricular nas Escolas do 1º Ciclo. Com essas mudanças, passou a ser incomportável, quer para os pais quer para a Santa Casa, financiar o ATL, sobretudo porque o almoço das crianças, tomado na Instituição, deixava de ser comparticipado. No final de Setembro alertámos os pais para essas dificuldades e para se prepararem para um eventual encerramento do ATL. Garantimos-lhes, no entanto, que tudo faríamos para salvar o ATL da Santa Casa. Reunimos com o Centro Regional de Segurança Social, reunimos com a Câmara Municipal de Ansião, foi consultado o Agrupamento de Escolas de Ansião e, com a concordância destes parceiros, elaborámos um plano de trabalho que implica que, a partir de Janeiro de 2008, seja a Santa Casa a fornecer todos os almoços às crianças da Escola EB1 de Ansião. Feitos alguns ajustes das mensalidades do ATL, em consonância com os pais, reunimos as condições para manter o ATL em funcionamento. Permita-me referir que encerram este ano, em Portugal, cerca de 1000 ATL, perdendo-se 12.000 postos de trabalho. Felizmente a Santa Casa não vai entrar nestas estatísticas.

 H | A lista que vai apresentar a sufrágio já está completa? Como aconteceu esse processo?
LA |
Antes de mais, deixe-me dizer-lhe que tenho um orgulho imenso nas pessoas que integram esta lista e nos apoios que reunimos. A decisão de avançar para um novo mandato resulta de um compromisso assumido já há algum tempo entre eu próprio, o Dr. Rui Godinho e a Eng.ª Sofia Gaspar.
Assumimos basicamente que, se um fosse, iriam todos. Entendemo-nos bem, já éramos amigos antes de entrar na Instituição e decidimos avançar juntos. Depois, na elaboração da lista, estabelecemos algumas regras para as pessoas a convidar: pessoas sem interesses económicos ou familiares na Instituição; pessoas idóneas, credíveis e de elevada estatura humana e moral; pessoas disponíveis e activas. No caso específico da Mesa Directiva, por ser um órgão cuja intervenção é necessária no dia a dia, exigimos ainda que, tecnicamente, estivessem em áreas profissionais relacionadas com as necessidades da Santa Casa e que fossem pessoas que trabalhassem em Ansião porque, pela experiência que temos e pelos nossos utentes serem de idades tão delicadas como a infância e a terceira idade, sabemos que a qualquer momento pode surgir uma situação em que seja necessária a presença desses elementos. Neste momento a lista está constituída, já reunimos e conversámos em duas ocasiões e, como referi, honra-me muito ter um grupo tão competente e coeso. Para além dos elementos da lista temos também o apoio de diversas personalidades ligadas a Ansião e à Santa Casa.
Tenho referido publicamente o apoio do Dr. Rui Oliveira, que considero uma honra e um privilégio e que, só por motivos relacionados com a sua saúde, não pode estar na nossa lista. Mas podia ainda indicar-lhe os nomes da generalidade dos elementos dos actuais órgãos sociais que, por motivos estatutários, não se podem recandidatar. Como costumo dizer, é uma lista de gente voluntária, mas não é uma lista de gente amadora. E reitero, orgulho-me muito disso.

LISTA DOS CANDIDATOS AOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE ANSIÃO
* 2008 - 2010 *

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL: PRESIDENTE: Manuel Prates Miguel
1.º SECRETÁRIO: José Carlos Murtinho
2.º SECRETÁRIO: Antero Costa
 
MESA DIRECTIVA: PROVEDOR: Leonel Antunes
VICE-PROVEDOR: Rui Godinho
1.º SECRETÁRIO: Sofia Gaspar
2.º SECRETÁRIO: José Manuel Marques
TESOUREIRO: Helena Pratas
VOGAL: Abílio Coelho
VOGAL: Afonso Feio
SUPLENTE: Fernando Mendes
SUPLENTE: Luís Carlos Sousa
 
CONSELHO FISCAL:
 
PRESIDENTE: José Costa
SECRETÁRIO: Antero Morgado
RELATOR: Teresa Santos
SUPLENTE: Jorge Monteiro
SUPLENTE: Luís Terceiro